PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO REAPRENDEM A CONTAR HISTÓRIAS NO SEGUNDO DIA DE EVENTO

Professores da educação infantil e acadêmicos da área tiveram a oportunidade de acompanhar a palestra “Contação de Histórias – espaços de vida e interação”, ministrada pela professora Erika Costa, no período matutino da sexta-feira (16). O encontro, que também contou com apresentações teatrais do Grupo Giga Palcos, musicais e dança, ocorreu no teatro do Colégio Dom Bosco, em Campo Grande – MS.

A especialista em educação infantil, Erika Costa, trouxe histórias como A Margarida Friorenta, para explicar o conceito de “leitura pelo prazer de ler”. “A criança pode ouvir qualquer história, o que manda é a forma como você vai contar. Temos que escolher a forma de apresentar, observando o interesse desse público”, afirmou a profissional. “A voz, a postura e o olhar também transmitem emoção”, complementou.

Além dos recursos, a também pedagoga orientou os acadêmicos e profissionais presentes sobre a forma de escolher uma história corretamente. “É necessário levar em conta a qualidade literária, a linguagem e observar a estrutura narrativa”, analisou. “Mas essa narrativa não deve ultrapassar dez minutos, para crianças e jovens, e vinte minutos para adultos”, sugeriu.

Durante a palestra, a especialista em educação infantil deu dicas de como prender a atenção dos pequenos da melhor maneira. “Tem que ser moderado, evitar cacoetes verbais, viver a história, narrar com naturalidade e principalmente conhecer o enredo. Não é o tipo de história que deve ser levado em consideração, mas a maneira como ela é contada”, lembrou Erika Costa.

Para finalizar, a pedagoga ressaltou a importância de expressar a própria marca na hora de contar uma história. “Você pode pegar algo de alguém e tentar fazer igual, mas nunca vai ser parecido. Pode sair melhor, pode sair pior, pode sair diferente, menos idêntico. Existe o seu grau de criatividade e sua identidade pessoal é que vai fazer a diferença em tudo”, destacou. “A gente nunca está sozinho na educação, nós sempre estamos aprendendo com o outro”, finalizou.

Assista: http://www.omepms.org.br/encontro/